10:17

Navegar na internet por muito tempo deixa pessoas depressivas, dizem especialistas

Psicólogos descobriram evidências de uma forte ligação entre o tempo gasto na web e a… mais »


Psicólogos descobriram evidências de uma forte ligação entre o tempo gasto na web e a depressão. As pessoas que mais ficam na internet tendem a não ser felizes, e sim a serem depressivas e ficarem deprimidas, de acordo com os pesquisadores.
 
Um questionário online foi usado para avaliar os níveis de dependência da internet e também depressão em 1.319 pessoas que tem entre 16 e 51 anos. Em geral, as pessoas que mais gastavam tempo na internet tendiam a ser mais deprimidos, mais depressivos.
 
Mas não está claro se o uso da internet causa problemas de saúde mental, ou se as pessoas com problemas de saúde mental são atraídas pela internet. “Houve uma correspondência entre a alta quantidade de tempo gasto na internet e os níveis de depressão”, disse Catriona Morrison, líder do grupo de estudos responsável pela pesquisa.
 

Publicidade

Publicidade

Sua equipe identificou e acompanhou um pequeno grupo de 18 usuários dos quais passam muitas horas online todos os dias, os chamados “viciados em internet”. A pontuação média de depressão do grupo foi cinco vezes maior que a dos usuários não viciados.
 
Os viciados passam a maior parte do tempo navegando em sites pornográficos, sites de jogos e comunidades online. Eles também tendem a ser jovens, tendo uma idade média de 21. “Enquanto muitos de nós usam a internet para pagar contas, fazer compras e enviar um e-mail, há um pequeno subconjunto da população que têm dificuldade para controlar quanto tempo eles passam online, até o ponto onde eles começam a interferir suas atividades diárias para navegar”, disse Dr. Morrison.
 
“Esse estudo reforça de que o excesso de tempo navegando na internet é o bastante para substituir a função social que poderia estar ligada a distúrbios psicológicos como a depressão e a dependência”, completou ele. Alguns especialistas estão preocupados com o perigo de sites, redes sociais, que podem abastecer pensamentos depressivos em jovens vulneráveis.

Publicidade

Compartilhe:

Curta-nos:


Leia também