1:42

Os 20 mangás mais vendidos na história da Shonen Jump

Milhões de exemplares da Shonen Jump foram vendidos ao longo dos anos, saiba quais são os mangás mais vendidos em sua história.

Como qualquer um sabe, o Japão é a casa de grandes títulos dos mangás que são lançados semanalmente ou mensalmente e, claro, podem ser comprados virtualmente na maioria de suas lojas online, também em lojas de conveniência e estações de trem. Entre muitos títulos, no entanto, sem sombra de dúvida é a Weekly Shonen Jump que reina.

Nos anos 90 a popularidade da Shonen Jump cresceu e as histórias capturaram corações de meninos e meninas japonesas em todos os lugares, resultado em um pico de 6 milhões de cópias vendidas. Embora esses números tenham caído para 3 milhões nos últimos anos, a empresa ficou presa à sua fórmula. Títulos como Dragon Ball e One Piece são semanalmente desenhados semanalmente em sua revista e depois 10 episódios são compilados em algo parecido com quadrinhos.

Neste artigo vamos mostrar-lhe o ranking de vendas de todos esses mangás. As histórias são sempre centradas nos temas de esforço, amizade e vitória. Manter estes conceitos nos corações dos jovens é uma política fundamental. Dragon Ball e One Piece são excelentes exemplos destes temas.

Por outro lado, a Shonen Jump emprega um difícil “sistema de pesquisa” para decidir que mangá permanecerá vivo. Se qualquer mangá, independente da sua notoriedade, não agradar os fãs durante um período de 10 semanas (um mangá), ele é cortado. Mesmo os escritores lendários não são imunes a essa política como uma forma da revista manter sua integridade. Abaixo você encontrará 20 títulos que não só sobreviveram a este sistema, as floresceram sob ela, foram adaptados para animes, filmes em live-action e um merchandising gigantesco.

Publicidade

20. Death Note (12 volumes, 2003-2006) – 27 milhões de cópias vendidas

Death Note Mangá
Usando o “Death Note” que mata qualquer pessoa cujo nome for escrito ali, o personagem principal espera criar um mundo perfeito e se envolve em uma batalha de inteligência com o melhor detetive do mundo. Tem sido amplamente revisada como uma história sombria que envolve a morte “ao contrário de uma série da Shonen Jump“, mas ótima no entanto.

19. Yu-Gi-Oh (38 Volumes, 1996-2004) – 38 milhões de cópias vendidas

Yu-Gi-Oh Mangá
O personagem principal era apenas uma criança, mas ao obter um misterioso “Enigma do Milênio” do antigo Egito, obteve outra personalidade obscura. Nessa história, o guardião das trevas pune os vilões. A história gira em torno de um jogo de cartas semelhante ao “Magic: The Gathering“, que se tornou mais popular que a série por si mesma. Até mesmo entrou para o Guinness Book como jogo de cartas mais vendido no mundo.

18. Bastard!!: Heavy Metal, Dark Fantasy (27 volumes e contando, 1998-presente) – 30 milhões de cópias vendidas

Bastard, Heavy Metal, Dark Fantasy Mangá
Esse mangá foi baseado em temas como mitologia e a Bíblia. O protagonista, Dark Schneider continuadamente trava batalhas contra os demônios e anjos. O autor e fã de heavy metal, Kazushi Hagiwara coloca referências ao rock por toda a série, tanto em tom de brincadeira quanto em um tom mais sério.

17. City Hunter (35 volumes, 1985-1991) – 35 milhões de cópias vendidas

City Hunter Mangá
Esse mangá de comédia explora Ryo Saeba enquanto ele trabalha como um guarda-costas e detetive em Shinjuku, Tóquio. Apesar de seu enredo para adultos que não combina muito bem com uma revista orientada para jovens, vendeu muito bem. Atualmente a série continua com o nome de “Angel Heart“.

16. Dr. Slump (18 volumes, 1980-1984) 35 milhões de cópias vendidas

Dr. Slump Mangá
Um hit de Akira Toriyama, conta a história de Arale e os habitantes da Vila Pinguim. As frases de efeito de Arale “ho-yo-yo” e “NCHA” tornou-se popular entre as crianças na época. O sexto volume vendeu 2,2 milhões de cópias e foi um recorde, sendo o primeiro a quebrar a marca de 2 milhões de cópias.

15. The Prince of Tennis (42 volumes, 1999-2008) 40 milhões de cópias vendidas

The Prince of Tennis Mangá
A história gira em torno de Ryoma, um estudante de uma escola de tênis com prestígio e que está se esforçando para ganhar os campeonatos nacionais. As regras e estratégias do tênis são bem explicadas mesmo para aqueles que não estão familiarizados com o jogo. No entanto, movimentos especiais foram aparecendo com cada vez mais frequência ao longo da série, e graças a isso começou a ser tratada como piada.

14. Rokudenashi Blues (42 volumes, 1988-1997) – 43 milhões de cópias vendidas

Rokudenashi Blues Mangá
Nesta comédia vinda da idade da pedra, um grupo de amigos aprofunda sua amizade enquanto lutam e praticam boxe. A série se passa em Tóquio e dispõe de muitos lugares famosos como Shinjuku, Shibuya e Asakusa. Os rostos e os nomes dos personagens que aparecem na série são modelados a partir de músicos famosos e atletas como mais uma das piadas que enchem essas histórias.

13. Yu Yu Hakusho (19 volumes, 1990-1994) 47 milhões de cópias vendidas

Yu Yu Hakusho Mangá
Escrita pelo autor de Hunter X Hunter, Yoshihiro Togashi, a história segue as aventuras de Yusuke Urameshi, conforme a história avança, ela segue o básico de todo mangá da Shonen Jump, com grandes histórias envolvendo batalhas. Mudanças de humor do autor são lendárias. Na série, alguns dos desenhos pareciam ser publicados em estado de finalização e alguns chegaram a questionar sua estabilidade mental. No entanto, foi uma das obras que mais fizeram sucesso nos anos 90.

12. Rurouni Kenshin (28 volumes, 1994-1999) – 50 milhões de cópias vendidas

Rurouni Kenshin Mangá
Essa história de um samurai no Período Meiji quebrou o pensamento de que a Shonen Jump não conseguiria emplacar outro hit. Embora os personagens e a história sejam fictícios, pessoas reais e os eventos, como o Shinsengumi estavam entrelaçados. Sua popularidade aumentou muito desde o fim da série, resultando em uma adaptação em filme, no ano de 2012.

11. Dragon Quest: Dai’s Great Adventure (37 volumes, 1989-1996) – 50 milhões de cópias vendidas

Dragon Quest Dai’s Great Adventure Mangá
Esse hit foi definido no mesmo mundo dos jogos de Dragon Quest, com muitas das mesmas magias e itens. No entanto, nenhuns dos personagens do jogo estão conectados. Embora alguns possam vê-lo como máquina de ganhar dinheiro com o nome de Dragon Quest, a série recebeu grande aclamação dos fãs, graças ao seu enredo amigável.

Publicidade

10. Hunter × Hunter (32 volumes e contando, 1998-presente) – 60 milhões de cópias vendidas

Hunter X Hunter
O personagem principal, Gon, a fim de conhecer seu pai, a quem ele nunca tinha visto, se torna um “Hunter” que é um trabalho fictício ambientado no mundo da história. Uma grande variedade de inimigos e aliados com habilidades especiais exclusivas, criados em um vasto mundo, porém bem detalhado, impulsionaram a popularidade dessa série. No entanto, é conhecida por seus longos hiatos. Ao longo de sua existência, a série teve pausas de até dois anos, e muitos pareciam com Yu Yu Hakusho, onde os desenhos pareciam que foram publicados em estado aparentemente inacabado.

9. Fist of the North Star (27 volumes, 1983-1988) 60 milhões de cópias vendidas

Fist of the North Star Mangá
Situado em 199X, onde o mundo foi destruído pela guerra nuclear, a história se desenvolve com Kenshiro empregando o estilo de luta Hokuto Shinken para combater uma variedade de inimigos poderosos. O estilo da série e do mundo foram influenciados por Mad Max e Os Gritos do Silêncio. Desde o início da série, a mesma foi muito popular e conduziu a Shonen Jump no gênero de ação e artes marciais. Além disso, mais de vinte anos após seu fim, ela ainda obteve spin-offs e adaptações em forma de anime.

8. Captain Tsubasa (37 volumes 1981-1988) – 70 milhões de cópias vendidas

Captain Tsubasa Mangá - Super Campeões
O herói dessa história, Tsubasa Ozora, cresceu com o sonho de se tornar um jogador de futebol no Brasil. Ele possui habilidades fantásticas, que, provavelmente, fariam com que seu marcador obtivesse ao menos um cartão amarelo na vida real. O impacto desse trabalho pode ser vistos nos inúmeros fãs ao redor do mundo, incluindo a maioria dos jogadores profissionais do Japão, bem como Fernando Torres e Zinedine Zidane. A fama de Tsubasa até mesmo alcançou o Oriente Médio, onde podia ser visto desenhado até mesmo ao lado de caminhões que entregam água.

7. JoJo’s Bizarre Adventure (107 volumes e contando 1987-presente) – 77 milhões de cópias vendidas

JoJo’s Bizarre Adventure Mangá
A família Joestar é descrita de pai para filho nesta série. Cada capítulo se concentra em um personagem diferente na família e, muitas vezes pula de um país para outro. Essa série leva o gênero de luta sobre-humana familiar e a mistura constantemente mudando as habilidades e inteligência do personagem principal.

6. Bleach (57 volumes e contando 2001-presente) – 78 milhões de cópias vendidas

Bleach Mangá
Essa história contada por Tite Kubo acontece no mundo ocultismo. É um mundo no estilo de um “Exorcista japonês”. Essa série segue Ichigo Kurosaki de acordo com que ele ganha poderes de um Shinigami e luta contra contra o mal. Embora essa história lida com a mitologia asiática, ela ganhou muitos fãs em outros países. E, embora a Shonen Jump seja vista como revista dos meninos, a série tornou-se muito popular entre o público feminino.

5. Slam Dunk (31 volumes, 1990-1996) – 117 milhões de cópias vendidas

Slam Dunk Mangá
Neste mangá de basquete feito por Takehiko Inoue, o estudante delinquente Hanamichi Sakuragi, que está no ensino médio, é aconselhado a juntar-se à equipe de basquete da escola por Haruko Akagi. É uma história de maturidade, que lida com as relações entre os companheiros de equipe e rivais. Esse mangá teve um grande impacto em programas de basquete em escolas secundárias e escola de ensino médio em todo o Japão. Mesmo em Taiwan alguns alunos fizeram um vídeo em tributo à série.

4. Naruto (72 volumes e contando, 1999-presente) – 140 milhões de cópias vendidas

Naruto Mangá
Naruto é um mangá de artes marciais que lida com ninjas aspirantes. A história gira em torno de temas orientais que encontrou sucesso em mais de 30 países ao redor do mundo, além de uma adaptação em anime que pode ser encontrada em mais de 80 países.

3. Kochira Katsushika-ku Kameari Kōen Mae Hashutsujo (188 Volumes e contando, 1976-presente) – 156 milhões de cópias vendidas

Kochira Katsushika-ku Kameari Koen Mae Hashutsujo Mangá
Esse mangá pateta feito por Osamu Akimoto, é estrelado por um oficial de polícia no centro de Tóquio. Referido carinhosamente como Kochikame, é a prova de quão longevo pode ser um mangá, tendo sido publicado de 1976 até os dias de hoje, contando com 188 volumes. É uma série episódica que incide sobre humor pastelão com misturas que incluem referências a cultura pop e alguns elementos dramáticos. Não tendo um único hiato em mais de 30 anos, Kochikame ganhou um recorde no Guinness como série publicada a mais tempo em uma revista juvenil.

2. Dragon Ball (42 volumes, 1984-1995) – 230 milhões de cópias vendidas

Dragon Ball Mangá
Essa obra-prima foi baseada no conto clássico chinês “Jornada ao Oeste“, mas com ênfase em combates. Ele contém todos os três elementos dos mangás da Shonen Jump; vitória, amizade e esforço. O criador da série, Akira Toriyama disse que entre os personagens da série, Piccolo, Kuririn e Mr. Satan eram seus favoritos. Uma das maiores críticas a série é que ela sempre parecia interminável, na qual inimigos sempre mais poderosos iriam surgir. Isso acabou levando ao fim da série, mesmo que isso significasse a interrupção de algo que trouxe receitas sem fim, vindas de revistas, merchandising, séries animadas. Sua narrativa saudável e positiva é a principal razão por seu grande sucesso. Seu personagem principal, Goku, está entre os personagens mais conhecidos de todos os tempos, quebrando a barreira do Japão e atingindo grande parte do mundo.

1. One Piece (77 volumes e contando 1997-presente) – 270 milhões de cópias vendidas

One Piece Mangá
Esta série de aventura e ação segue o pirata Luffy e foi criada por Eiichiro Oda. Quando as obras populares dos anos 90 como Dragon Ball e Slam Dunk acabaram, a Shonen Jump ficou sem hits. Ela precisava de algo para escapar da “depressão pós Dragon Ball”. Apesar de suas sátiras de questões complexas como disputas territoriais, religião e guerra, a série se abstém de temas não indicado para crianças, isso fez com que ela fosse muito bem recebida pelos jovens leitores.

Publicidade

Compartilhe:

Curta-nos:


Leia também