16:11

2015: O ponto de viragem para o Futuro

Pode parecer uma utopia, mas para muitos futurólogos, em 2015 estaremos em um novo patamar. Veja as possíveis inovações e extinções nas próximas décadas.

Futuro
Pode parecer ser algo utópico, mas para muitos cientistas, professores e muitas outras pessoas, em 2015 estaremos em um novo patamar.

Dicionário: viragem (vi-ra-gem)
s. m.
Ato ou efeito de virar-se, Mudança de direção.

Publicidade

Futurologia: a ciência que estuda o futuro

Apesar de uma elevada exatidão em pontos específicos, o trabalho de um futurólogo não é indicar o que vai acontecer, mas sim o que poderá acontecer. Na futurologia os cenários e eventos são, ou não, definidos como: possíveis, prováveis, desejáveis.

Apesar da maioria das pessoas não estar familiarizada com o conceito de futurologia, em quase todas as áreas científicas existe algum conhecimento da mesma. Os sociólogos preveem como os povos irão reagir à globalização. Os gestores de marketing preveem as próximas necessidades do consumidor. Os historiadores encontram factores de repetição da história. Os demógrafos indicam-nos que o crescimento da população tende a estabilizar. Através de diversas pesquisas muitos futurólogos acreditam que 2015 é o ponto de viragem para o futuro.

Em entrevista a uma revista, Ian Pearson, um dos 100.000 funcionários da gigante empresa inglesa das telecomunicações British Telecom, falou sobre o poder que as máquinas obterão e como irão evoluir, assim como nós. Futurólogo que desde a década de 90 investiga novas tecnologias para a empresa e tenta prever suas possíveis implicações para o mercado e a sociedade.

“Elas vão alcançar os seres humanos, em termos de inteligência, entre 2015 e 2020. Mas acho que o homem não será tão estúpido a ponto de fazer máquinas com inteligência sobre-humana. Será encontrado um jeito de manter o ser humano no comando”, disse Pearson. Logo depois, Pearson afirmou que as máquinas terão consciência.

“Há quem diga que é impossível definir o que é consciência. Mas não é preciso a definir. Máquinas terão consciência tanto quanto nós, e talvez mais, qualquer que seja a definição. Elas terão mais percepção de si mesmas e do entorno e processarão informações mais rapidamente que eu ou você. De fato, se você criar máquinas muito superiores e elas não gostarem da gente, acabarão vencendo. Mas podemos criar algumas salvaguardas. Isso se dará por uma ligação total entre o cérebro humano e o computador, por volta de 2040. Ela dará ao homem uma inteligência extra. Com isso, por mais esperta que seja a máquina, ela não levará vantagem sobre as pessoas, porque estas também serão mais inteligentes”, ressaltou.

Ian Pearson também afirma que seremos capazes de controlar a nossa própria evolução. “Seremos a primeira espécie capaz disso. O fato de podermos modificar nossos próprios genes é um grande passo nessa direção. Toda semana se anuncia a identificação de um novo gene, responsável por isto ou por aquilo. No futuro poderemos escolher a aparência e a personalidade de nossa prole. Se é possível fazer isso em microescala, com indivíduos, claro que será possível para a espécie como um todo. A sociedade poderá escolher seu caminho. Por exemplo, há quem ache que seres humanos menores são mais adaptados ao meio ambiente, pois demandam menos recursos para viver. Não que eu ache essa uma boa solução, mas há quem a proponha.”

Alvin Toffler é outro futurólogo bastante renomado, e já vez diversas “previsões” de que o mundo ia ser controlado por computadores quando ninguém falava de bites e bytes. A Toffler se deve por exemplo a antecipação do declínio da vida familiar, da aceleração do ritmo de vida, da diversificação de informação, do medo do terrorismo, da procura de micro nichos – que substituirão os mercados de massa, entre outros aspectos da vida socioeconômica.

“Caminhamos cada vez mais para uma era marcada pela diversidade” diz este analista que considera que “existem uma série de assuntos intermédios que vão estar na nossa agenda nas próximas décadas tais como a energia e o desafio da religião” porém o grande desafio que vamos ter recairá na nossa escolha sobre o que significam as palavras: Ser Humano. “Temos tecnologias, aplicações e outros factores que vão colocar em causa a nossa definição sobre o que é o Ser Humano. E eu acredito que isso vai dar origem a confrontos globais sobre o uso das tecnologias., que podem na verdade mudar as características das nossas espécies. Isso é a maior batalha que vamos atravessar.”

A nanotecnologia tem papel fundamental nessa evolução das máquinas e a superação da inteligência humana por elas. Já estamos vendo algumas aplicações primárias nesse campo, mas elas não representam a visão completa da nanotecnologia, aquela visão articulada pelo Eric Dexter [cientista, engenheiro americano, considerado um dos pais da nanotecnologia] lá pelos idos de 1986.

Temos visto uma crescente capacidade de manipularmos a matéria no nível molecular. Um dos caminhos para criar nanotecnologia é começar com mecanismos biológicos e modificá-los a ponto de estendermos o paradigma biológico, que é ir além das proteínas. Essa visão de manipulação das moléculas, usando processos programáveis para fazer crescer objetos de maneira organizada com propriedades específicas já é uma visão de 20 anos atrás.

Haverá uma rápida progressão em novos métodos na construção de nano componentes sem usar o método molécula a molécula como tem sido feito, mas átomo a átomo com suas propriedades específicas de armazenar e processar a informação. A Intel, por exemplo, já identificou isso e seus engenheiros já trabalham com pesquisa de novos métodos e vê na nanotecnologia o futuro de seus microprocessadores.

Nanotecnologia - Sangue em robôs

Mulher com braço robótico
A nanotecnologia já é um negócio bilionário para algumas empresas e será determinante em breve. Daqui cinco anos, por volta do ano 2015, teremos uma real dimensão da nanotecnologia em nossas vidas. Estaremos mais avançados no caminho da cura de terríveis doenças, como o câncer, problemas cardíacos e diabetes, tudo por meio da revolução na biotecnologia que nós já falamos. Com o desenvolvimento de medicamentos por meio da nanotecnologia, em apenas cinco anos poderemos ver progressos significativos nas pesquisas de como parar e até reverter o processo de envelhecimento.

Publicidade

Em 2050 seremos nove bilhões de seres humanos no planeta

Em entrevista ao jornal O GLOBO o escritor Richard Watson, autor de livro “Future Files: A History of the Next 50 Years“, tem alguns palpites. Prevê, por exemplo, que a próxima década será agitada. Morrem as bibliotecas, o email, o DVD, o acesso discado… Por outro lado, começaremos a conviver com cirurgias robóticas, olhos artificiais, ossos de plástico. Veja as extinções e as inovações segundo Richard Watson.

As extinções

2001-2010 – Brinquedos de madeira, cartões perfurados, clima normal, Concorde, Inocência, máquinas fotográficas Polaroid, Plutão, soberania nacional.

2011-2020 – Agências de correio, aposentadoria, atendimento ao cliente, bibliotecas, Blackberry, busca baseada em texto, catálogos de lista telefônica, cinzeiros, culto à magreza, democracia russa, DVD, email, internet discada, linhas de telefonia fixa convencional, locadoras de vídeo e DVD, máquinas de fax, marketing direto, mouse, perder-se, praias sem cerca, propagandas ou outdoors estáticos, recepcionistas, regulamentação de propagandas e anúncios, secretárias, segredos, televisores de tubo de raios catódicos.

2021-2030 – Almoços, artesãos, blogar, cintura, computadores desktop, Copyright, fins de semana sem trabalho, impostos sobre herança, intimidade, Paris Hilton, rádio AM, rádio FM, rodovias gratuitas, rugas, sindicatos, Taiwan (Formosa), web 2.0.

2031-2040 – Chaves, classe-média, “desculpe-me”, geleiras, infância, Mar de Aral, Microsoft, moedas, parto natural, paz e sossego, petróleo, realeza britânica, spam, União Europeia, veículos movidos a petróleo, viagens baratas, vícios.

2041-2050 – Carteiras, cegueira, emissões de carbono, espaços públicos gratuitos, Google, gravatas, moedas nacionais, papel-moeda, surdez, tarefas domésticas.

2051-2060 – Cirurgia plástica cosmética, dor física, estados nacionais, morte.

As inovações

2008-2010 – Computadores vestíveis, cosméticos inteligentes.

2011-2020 – Cirurgia robótica, computador DNA, espelhos digitais, internet sensorial, jornais em e-paper, máquinas de sonho, olhos artificiais, ossos de plástico, pen-drive de 150 GB, sensores de verdade, sistema de reserva para rodovias, telefones descartáveis, via lunar.

2021-2030 – Bactérias sintéticas, carros auto dirigidos, escadaria espacial, escolarização acelerada, estações de abastecimento de hidrogênio, férias virtuais, nano drinques, nano pílulas, portas com reconhecimento facial, prisões offshore, reforço de memória para humanos, robô-babá, tubo gravitacional.

2031-2040 – Celulares a combustível, créditos individuais de poluição, desintegrador, dietas à base de genes, drogas intensificadoras de realidade virtual, fábricas espaciais, fax 3D, impressoras tridimensionais, moeda única global, países-prisões, papel de parede em vídeo, pastas de dentes nano boticas, rodovias auto reparadoras.

2041-2050 – Cartão de identificação global, cérebro artificial, comércio de reputações, download de memória humana, eleições globais, Homem em Marte, identificação biométrica compulsória, insetos robóticos, manto de invisibilidade, marchas virtuais de protesto, mineração espacial, misturador de DNA, rebocador espacial, residências autolimpantes, robocops, roupa de controle de estresse, sistema global de imposto único, spray de invisibilidade, substituto para o sono, transplante de cérebro, trocas de bebês, vilas silenciosas, web 4.0.

O cientista Ray Kurzweil comenta que em cerca de 20 anos, a imortalidade humana poderá ser uma realidade graças à nanotecnologia e um melhor entendimento do funcionamento do corpo humano.

De acordo com ele, órgãos artificiais seriam algo comum, e sua eficiência superaria em múltiplas vezes o desempenho do que o nosso corpo é capaz de produzir.

Para começar, nossas células sanguíneas seriam substituídas por milhares de nano robôs, que seriam capazes de fazer o trabalho das hemácias milhares de vezes mais eficiente… Um coração biônico iria poupar àquelas pessoas que tem histórico de ataque cardíaco na família, sem contar que implantes cerebrais iriam ampliar a nossa capacidade mental, dando-nos a capacidade de escrever livros em minutos.

De acordo com os estudos deste cientista, o avanço tecnológico nos transformariam em super humanos, ou em ciborgues, melhor dizendo. E apesar de tudo isso soar um exagero, isto não foge da realidade. Basta fazer uma análise do avanço tecnológico nos últimos 10 anos.

Nos dias de hoje, já foram realizados com sucesso a implantação de braços robóticos em humanos (controlados pelo pensamento), além de neuro implantes e pâncreas artificial. É apenas questão de tempo para isso tudo atingir um patamar mais amplo.

Projetos para o futuro

Aircruise:
Balão dirigível gigante, projetado para voar pelos céus no começo de 2015.

Aircruise
Harley Davidson:
A Harley tem possibilidades de entrar para rodar nas estradas em 2020.

Harley Davison 2020
Nissan V2G:
Plano para o veículo perfeito para 2030 é com o Nissan V2g.

Nissan - The Perfect Car (O carro perfeito)
Dragonfly:
A utopia da agricultura urbana.

Dragonfly
Seja o que estar por vir devemos estar preparados para os acontecimentos, a tecnologia evolui muito rápido e precisamos estar dispostos a seguir esta evolução ou então ficaremos abandonados no passado, assim como os discos de vinil na dispensa.

Para a criação desse artigo foram usadas informações dos seguintes meios: O Globo, Wikipédia e Revista Veja.

Publicidade

Compartilhe:

Curta-nos:


Leia também